sábado, 25 de maio de 2013

MAIS CENAS DO BILLA RIO PRO

Depois desse evento, as coisas não foram as mesmas. Só alguns poucos pensamentos e matérias iracionais, circularam na midia mundial, mas foram logo abafadas. Aqui no sule, o gaúcho Giovanni Mancuso, leu de prima e largou na rede social que uma matéria dos ianques, num conhecido site ianque, desmerecia as performances dos brasos na competição e no tour. Ficou taxada de racista, a tal resenha. O sujeito, jornalista, não merece ser citado aqui, é muito estrelismo. Ele merece ser citado nos backstages do UFC. Onde nego chama pro rola na brincadeira e desce a porrada depois. Bem vamus ao surf e as cenas do Billa Rio Pro.
De Souza, o Mineirinho, atacou legal as ondas no evento. Vindo como dark horse, deixava Medina, Toledos e cia, mostrarem o potencial do Storm Brasilians e embrulhava legal seus contenders. Sempre na maestria e high performance. Tudo com respeito e radicalidade. Até o Senhor dos Titulos, foi parado pelo De Souza.
Os meninos do mundo ficaram quase uma semana precisamente na seca de boas ondas e o que se avistava era, pro e mais pro prá cima e prá baixo atrás das marolas safadas que de tão safadas, nem apareciam. É mole! Teve dia que neguinho nem apareceu com prancha embaixo do braço.
 Este menino sim, escolado no samba do crioulo doido, saiu em direção as verdadeiras waves. Ricardinho do sul, passou pela Barra, onde iria competir e foi ao Terrorhupoo. Perdão ao Tahiti, num bate e volta até Teahupoo, onde rolavam tubões, sacumé né, bombas de mais de metro de altura, na bancada quebra crânios. Dos Santos, voltou amarradão, com cabeça feita e mais midia.
Claro não desmerecendo, pois o cabra surfa pacas, Taj o Burro, deu suas voltinhas na city maravilha e por fim não conseguiu vencer seu algoz freguês, Kelly. Ou vice versa, Burrow é freguês do Kellynho. Quando o mar reagiu, ele saiu da água socando seu foguete mais uma vez, para delírio dos fotomans de plantão.

Na tal bateria contra o Burrow, Slats, estava elástico que emendava um tubo atrás do outro e não deu mole pro aussie. Depois foi hilário! Dando entrevista para aquele sujeito tal de C..não sei o que, falava e mexia a cabeça para ver, Medina, dentro dágua pegando suas ondas. É mole!
 Fica aqui o registro para o nosso, argentino-brasuca, Alejo, que nas preliminares, arregaçou dentro dágua e depois não encontrou as boas. Mas continua no rip dos Storms brasilians.
E esse espião aquático/oceânico, bom de surf e de letras, tava de prontidão na maior paixão junto com uma equipe du caracas. É o Dôtor Ivo, Mr. Surfocracia que bate um bolão. Parece que foi o Ronaldo do PortalR que flagrou essa. Hô Rios de janeiros na fita.
Fato é que Adriano de Souza, mandou bem, voou, arregaçou e foi prá galera mais uma vez. Claro que muitos comentaram que ele levou. Mas De Souza, no palanque, humildemente falou que Jordy, o tal sul-africano surfou pacas e blá,blá,blá,blá.
Tudo bem, feliz ficou mesmo o ex-campeão brasileiro, Peterson Rosa. Bixo que agora passa sua experiência para De Souza e está indo bem. Uma dupla dinamite do surf brasileiro.
Como sempre nessas paradas, o africano Jordy Smith agradeceu as words de De Souza e posou ao lado do hero local pra crew. Claro com U$ 100 milhas na mão né! Até eu. Afe!
Poxas du caracas que resenha que não acaba. Esse é o Principe lá de casa, tomou meu lugar senão a coisa ia descambar para o nunca mais. Finalizo aqui as cenas e os coments sobre o Rio Billa Pro. Que coisa! No próximo eu vou. Shots do Guerrero e do Smorigo. Todas classudas.  

3 comentários:

Ivo Remuszka disse...

Mais será o Benedito que já me acharam ali quietinho...kkkk

Castro Pereira disse...

Háháháhá pra´vc vê! Somos Rede Grobo, tamos di Ôio. Abçs fera!

Castro Pereira disse...

Há e parabéns a cv e team pelo trampo no Billa!